Seres vivos heterotróficos - Estratégias alimentares

Girafa-de-angola (Giraffa camelopardalis angolensis)

Ao longo do tempo, os seres vivos heterotróficos foram-se adaptando e adquiriram estratégias alimentares verdadeiramente impressionantes.

Um herbívoro que possui uma estratégia muito peculiar é a Girafa. Com a sua longa língua preênsil, que pode chegar aos 40 cm e com os seus dentes incisivos divididos em três partes à semelhaa de um pente, recolhe grandes quantidades de folhas, dos ramos das acácias.


Alguns carnívoros como por exemplo os felinos, usam a velocidade, a camuflagem e a sua agilidade para caçar. No entanto um dos felinos que apresenta uma técnica especializada, diferente do comum, é o jaguar, porque em vez de atacar as suas presas no pescoço, ataca o crânio, no osso occipital, causando a morte imediata das mesmas. Outro felino que apresenta uma estratégia muito interessante é a chita porque usa as suas garras expostas para conseguir aumentar a sua velocidade, devido a uma maior tração, chegando aos 75 km/h em apenas 2 segundos. 


A Tartaruga-alígator tem uma carapaça com placas (que aumentam a semelhança com o alígator) e frequentemente coberta de algas. Estas adaptações, ajudam a tartaruga a camuflar-se.

Este animal possui um apêndice curioso preso à língua, que lembra uma minhoca e que serve como isco para peixes e outros animais. A estratégia passa por ficar imóvel com a boca aberta debaixo de água e ao balançar o pequeno isco, atrai a presa directamente para dentro da boca.

Os chimpanzés usam todas as suas capacidades cognitivas para obter alimento, como por exemplo, fabricar instrumentos, usar pedras para abrir frutos e fazer emboscadas a outros animais.