Follow by Email

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Uma questão de riscas!


Há mamíferos que têm padrões de coloração muito curiosos. Sejam riscas, pintas, manchas ou até uma mistura de todos, o objetivo é comum: a camuflagem.

No caso de predadores como o tigre, o padrão de coloração permite que se confundam com o seu habitat. Como são animais que vivem em florestas cheias de vegetação e sombras, conseguem esconder-se dos animais que pretendem caçar, as presas. Desta maneira, tornam-se excelentes caçadores, uma vez que a presa só dá pela sua presença quando já se torna muito difícil “fugir”.


Tigre-de-sumatra (Panthera tigris sumatrae)

Mas a camuflagem pode ter o efeito contrário, como acontece com a zebra (preta e branca) que, sendo uma presa, utiliza a sua coloração para se esconder dos seus predadores, como o leão, por exemplo. Como a zebra é um animal gregário (vive em grupos com muitos indivíduos), as riscas tornam a tarefa do predador muito difícil, pois muitas zebras juntas significam muitas riscas e o predador vai ter dificuldade em identificar um só animal para atacar. A maioria dos predadores da zebra são felinos, como a chita, o leão ou o leopardo, e uma característica comum a estes animais é o facto de terem uma visão a preto e branco, o que vai ser mais uma vantagem para a zebra.
Como vês, estejamos a falar de um predador ou de uma presa, a camuflagem tem um único objectivo: “esconder-se para comer e para não ser comido!”

Zebra-de-grevy (Equus grevyi)




Sem comentários: