Follow by Email

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Pigmeu, eu?

O Hipopótamo-pigmeu (Choeropsis liberiensis) é o exemplo perfeito de que nem todos os animais têm que ser grandes para serem excecionais. O Hipopótamo-comum (Hippopotamus amphibius) invade o nosso imagináriocom as suas 3 a 4 toneladas de peso e os seus 5 metros de comprimento. Mas o reconhecimento do Hipopótamo-pigmeu é muito merecido.
Chama-se pigmeu, mas apenas por comparação, mede quase 2 metros de comprimento e pode chegar aos 270 kg de peso! A sua vida é bastante mais terrestre que a do Hipopótamo-comum e talvez por isso, tenha a cabeça proporcionalmente mais pequena e os membros mais compridos. O seu comportamento é também menos agressivo. Apesar de menos aquático, em caso de ameaça refugia-se na água e a sua sobrevivência está interligada com a proximidade da água, quer sejam lagos ou rios.
O Hipopótamo-pigmeu é solitário, no entanto, quando uma fêmea está recetiva ao acasalamento parece haver sempre um macho por perto. E é preciso que ele esteja atento, cada fêmea só está recetiva à cópula durante 24 a 48h por ciclo reprodutivo! A pequena cria desenvolve-se numa gestação de 6 meses e nasce, em terra, com cerca de 5 kg de peso, sendo capaz de nadar pouco depois do nascimento. Mas nem todos os cuidados da progenitora são suficientes… esta espécie está classificada como Em perigo pelo UICN, a União Internacional para a Conservação da Natureza. O seu habitat, as florestas alagadas das zonas baixas de apenas 4 países africanos – Guiné, Serra Leoa, Libéria e Costa do Marfim, sofreu mudanças drásticas nos últimos 30 anos como a desflorestação do habitat devido à indústria madeireira e ocupação pelo Homem, bem como pela caça intensa para a obtenção da sua carne e pelos conflitos armados locais.O Jardim Zoológico, participa ativamente na conservação do Hipopótamo-pigmeu através da sua participação no Programa Europeu de Reprodução da Espécie (EEP).  A visita ao Jardim Zoológico é uma forma de participares nesta missão. Vem ao Jardim Zoológico e conhece o Hipopótamo-pigmeu!

Sem comentários: