Follow by Email

sexta-feira, 23 de março de 2012

Adaptações aos fatores abióticos dos ecossistemas


Já falámos quais são os fatores abióticos presentes nos ecossistemas, agora falaremos de que forma os seres vivos se adaptam a estes fatores. Ainda te recordas que fatores abióticos existem?
Morcego-anão
Cada um destes fatores em específico implica alterações e adaptações por parte dos seres vivos existentes nos ecossistemas.
Quanto à luz temos os animais que são mais ativos durante a noite designados por noturnos e os que são mais ativos durante o dia, diurnos. Temos também aqueles que não suportam a luz, são os lucífugos, como é o caso da minhoca, outros são atraídos pela luz, como acontece em alguns insetos. O fotoperíodo, muitas das vezes tem influência direta sobre a época de reprodução.
A temperatura, interfere em fenómenos fisiológicos e podemos encontrar os seres vivos que regulam a sua temperatura, designados por homeotérmicos, como é o caso dos mamíferos, por outro lado os répteis não conseguem regular a sua temperatura interna, dependem de fontes externas de calor, designados por ectotérmicos. Outras estratégias relativas à temperatura são a hibernação, migração ou estivação. Ver texto do blogue – “Ecossistemas - fatores abióticos “.
Rã-leitosa-da-amazónia
A pluviosidade condiciona uma maior ou menor biodiversidade, numa relação direta entre o aumento da água e a biodiversidade existente. Quanto à humidade podemos encontrar seres hidrófilos, higrófilos, mesófilos e xerófilos. Os hidrófilos/aquáticos, vivem permanentemente na água como é o caso dos peixes. Os anfíbios são higrófilos apresentam uma grande dependência em relação à humidade, já todos os que têm necessidades moderadas de água são mesófilos. Por fim os xerófilos habitam em locais com pouca água e baixa humidade atmosférica.

Sem comentários: