Follow by Email

sexta-feira, 2 de março de 2012

Críticas ao Lamarckismo!

Como sabes a semana passada foi publicado um texto com o tema: Jean-Baptiste Lamarck e o principio do evolucionismo, agora iremos apontar quais foram as principais lacunas, existentes nas leis desenvolvidas pelo lamarckismo. Ainda te recordas que leis desenvolveu? A lei do uso e do desuso e a lei dos caracteres adquiridos.
Através destas leis, Lamarck considerava que as alterações no habitat levavam o indivíduo a adaptar-se. Assim atribuiu uma intencionalidade aos seres vivos, na busca por serem melhores e mais adaptados ao habitat onde vivem, como que na procura da perfeição.
Esta mudança ocorria porque o uso de determinados órgãos, levava ao seu desenvolvimento, já o seu desuso levava à sua atrofia – lei do uso e do desuso.
Posteriormente, as características desenvolvidas iriam passar à descendência – lei dos caracteres adquiridos – ora estas características são somáticas, ou seja, não vão passar à descendência porque não interferem com as células da linha germinativa, um exemplo a considerar, progenitores musculados não vão ter um descendente que por si só, venha a ser musculado. Mesmo que o progenitor seja musculado, quando deixa de usar esta estrutura de forma intensa, estas regridem.
Ainda sobre esta problemática, Friedrich Weissman, em 1880, cortou caudas a ratos ao longo de gerações sucessivas, tentando assim avaliar se os que nasciam dos cruzamentos de ratos sem cauda também nasceriam sem cauda, mas os ratos nasceram sempre com cauda.
Ao considerar que as estruturas surgiam pela função, fica por esclarecer as estruturas que ocorrem ao longo das gerações e que são adversas ou nefastas para o indivíduo e estas surgem, independentemente do meio em que o organismo existe.

O que é que pensas sobre isto, Lamarck tinha ou não razão?

1 comentário:

Anónimo disse...

Continuo a achar que Lamark tem ideias muito reais, e que esta agora o Neolamarckismo explica com os rcursos de hoje em dia, o que Lamarck não conseguiu na sua época...
Lamarck que deu aquela famosa teoria de que as girafas tinham pescoços curtos e pela falta de alimentos na base das arvores, os seus pescoços foram alongando, até nascerem com pescoços altos. Temos de ter em atenção que as arvores não cresceram de repente, foram crescendo gradualmente como o pescoço da girafa!


Porém isso não é verificável com apenas 20 gerações e sim com milhões de anos, com fatores ambientais importantes! A transmissão de informação não pode ser feita logo numa só geração,e 20 gerações em tempo biológico não é nada.

Um exemplo é porque é que o ser humano, só agora começou a nascer, sem os dentes do ciso?
Isso não creio que se explique com uma mutação ocorrida, mas sim pelo desuso daqueles dentes que eram dantes usados pelos nossos antepassados porque a comida era crua e necessitava de ser melhor mastigada. E esta evolução não demorou 20 gerações, demorou milhares de anos!