Follow by Email

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Novas espécies descobertas no grande rio Mekong em 2012

Ruby-eyed green pit viper, Trimeresurus rubeus (Photo: Peter Paul van Dijk)
Víbora-de-olhos-vermelhos (Photo: Peter Paul van Dijk)

O grande rio Mekong é conhecido pela sua fantástica diversidade de criaturas, mas em 2012 foram descobertas algumas novas espécies como um morcego com aparência de demónio ou uma rã que vocaliza como uma ave. Estas descobertas dão relevância à reputação desta zona como uma das fronteiras por ultrapassar na exploração científica e para novos encontros. 
A região do grande Mekong no Sudeste Asiático é aquela onde o rio passa por Cambodja, Laos, Myanmar, Tailândia, Vietname e no Sul da China. Esta região é o habitat para alguns das espécies mais carismáticas e ameaçadas, incluindo o Tigre-indochinês, Elefante-asiático, Golfinho-do-mekong e o peixe-gato-gigante-do-mekong – entre 1997 e 2011 uns incríveis 1,710 novos organismos foram descritos nesta área.
 Em 2012 foram descobertas 126 novas espécies, demonstrando assim a imensa biodiversidade desta região, mas também a complexidade e fragilidade entre as espécies do rio Mekong e seus habitats. 
A descida acentuada dos Tigres - 70% apenas numa década - e a extinção local do Rinoceronte-de-java no Vietname em 2010 são factos para nos lembrarmos que seres vivos únicos estão a perder-se a taxas elevadas por causa da pressão humana. O comércio ilegal permanece como a maior ameaça para as espécies e não dá sinais de diminuição. 
Com o aumento da riqueza da região, a cultura da propriedade e o consumo, os produtos feitos com animais estarão sempre presentes. O comércio ilegal, de animais selvagens, no mundo, é agora estimado em pelo menos 19 bilhões de dólares anualmente. O desenvolvimento rápido e insustentável, incluindo o pobre planeamento de infraestruturas, atividades de extração descontroladas e não transparentes e a expansão da agricultura, bem como o comércio da vida selvagem, estão a degradar profundamente a saúde dos ecossistemas - e consequentemente a afetar milhões de pessoas que dependem diretamente dos recursos naturais. Temperaturas mais altas e cheias extremas, secas e tempestades que resultam das mudanças climáticas só acentuam estas pressões. 
Hoje em dia, a região do grande Mekong é uma das 5 regiões consideradas “hotspots” mais ameaçadas em todo o Mundo. 
Uma Gestão completa e consistente de ecossistemas em toda a região do Mekong vai ajudar as nações a tratar adequadamente questões complexas, como a perda e fragmentação do habitat, o uso não sustentável dos recursos naturais, a caça furtiva e mudanças climáticas. 
A nova campanha da EAZA sobre o Sudeste Asiático ganha assim uma dimensão extra, pois cria a oportunidade para divulgar e sensibilizar a população para as problemáticas desta região. 


Sem comentários: