Follow by Email

sexta-feira, 27 de julho de 2012


SUDESTE ASIÁTICO - AMEAÇAS E DESAFIOS


Pela primeira vez, a EAZA (European Association of Zoos and Aquariums) e a IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza), através da sua Species Survival Commission (SSC) desenvolveram e lançaram a primeira campanha de conservação conjunta: a Southeast Asia Campaign 2012.
O sudeste asiático é uma das regiões com maior biodiversidade do Planeta, sendo a casa de algumas das espécies mais emblemáticas e queridas por todos como o Tigre-de-sumatra, o Elefante-asiático e o Orangotango.
Esta campanha de dimensão colossal inclui inúmeras espécies de animais de todas as classes, desde anfíbios a grandes mamíferos, bem como os seus exóticos habitats. Mas, o foco desta campanha dirige-se não só para os mais emblemáticos mas também para as espécies mais misteriosas que vivem nos mais diversos habitats da região, tentando assim assegurar que, também elas, terão a oportunidade de ter um futuro.
 O Jardim Zoológico e a DGE convidam todos os professores a participar no novo concurso nacional de escolas “ Sudeste Asiático – Ameaças e Desafios”. Alunos e Professores, ao participarem no Concurso Nacional Escolas "Sudeste Asiático – Ameaças e Desafios", terão a oportunidade única de agir pela conservação das espécies e seus habitats, e mais importante, poderão ajudar-nos a espalhar esta mensagem fundamental! Saiba mais aqui.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

ATL do ZOO – Um Campo de Férias, verdadeiramente selvagem!


Já está a decorrer mais um ATL de Verão do Jardim Zoológico! Aqui podes tornar-te um verdadeiro Explorador da Natureza, aprendendo como podes ajudar na conservação da Biodiversidade! Temos muitas atividades para ti, desde jogos dinâmicos, peddy papers, caças ao tesouro. Poderás ainda mostrar as tuas capacidades artísticas ou de representação, mostrando o teu lado de advogado de defesa dos direitos dos animais  num mágico tribunal rodeado de sons de animais.

Em animadas conversas com treinadores, tratadores, veterinários ou até com o arquitecto do zoo, podes ainda descobrir muitas curiosidades tanto sobre as espécies que aqui habitam, como sobre a planificação das instalações, de forma a promover e estimular os comportamentos naturais de caça e procura da mesma, entre outras surpresas! Inscreve-te já!



Cuidado com o que comes!


Pinguim-do-cabo
O que é que uma Águia-rabalva e uma Foca-comum, ou um Pinguim-do-cabo e um Golfinho-roaz, têm em comum?
Vivem em ambientes marinhos. Alimentam-se de peixe.

Quem é, atualmente, o seu principal competidor por alimento?
O Homem!
 A água é essencial para a manutenção da vida na Terra e cobre cerca de 70% da sua superfície. Desses 97% são oceanos.
O oceano é a maior fonte de alimento que existe. E em Portugal somos os terceiros maiores consumidores de peixe do mundo.
Nos últimos 60 anos a quantidade de peixes maiores diminuiu 90%. Os navios de pesca com palangre, uma linha principal forte e comprida de onde partem um grande número de linhas secundárias terminadas em anzol, usam milhões de anzóis e cada um com um peixe a servir de isco. Em relação aos navios de arrasto podem capturar de cada vez 500t de peixe, numa rede tão grande que caberiam 13 aviões Jumbo dentro dela. Dessa quantidade de peixe uma boa parte (para não dizer a maior parte) é desperdiçada, ou seja, não é utilizada para consumo humano nem com outro fim.
Nestas redes de arrasto são por vezes capturados outros animais como tartarugas-marinhas, para além disso, destroem o fundo marinho que é essencial ao ciclo de vida e de matéria nos oceanos.
Tartaruga-de-pente
Todas as redes que são utilizadas como artes de pesca ou que ficam perdidas ou esquecidas no mar são um perigo para os animais que circulam nas águas e que, não as vendo, ficam presos nelas. Quanto mais se debatem para se soltar, mais emaranhados ficam, e se tivermos a falar de répteis ou mamíferos acabam por morrer asfixiados porque não conseguem voltar à superfície para respirar.
A aquacultura também não consegue resolver todos os problemas porque, para além das hormonas e ração utilizadas que se podem tornar poluentes das águas, muitos dos peixes criados são carnívoros, logo têm de ser alimentados com outros peixes, que terão de ser pescados com esse objetivo.
Poderíamos pensar que as leis e a fiscalização do cumprimento das leis resolveriam estes problemas mas os limites de pesca estabelecidos pelos governos são muito superiores aos que os cientistas recomendam para uma gestão sustentável dos recursos e recuperação das espécies.

Mas o que é que tu podes fazer? 

Mas o que é que tu podes fazer?


Para começar deves estar informado para poderes fazer escolhas conscientes. Por isso te sugiro o site “Que peixe comer?” (http://www.quepeixecomer.lpn.pt/) onde podes encontrar informação sobre os vários peixes comercializados em Portugal, conselhos sobre o seu consumo, e outras informações sobre o projeto e a conservação dos recursos marinhos. Os humanos também têm de se alimentar e faz parte de uma alimentação saudável o consumo de peixe, mas podemos fazê-lo com os cuidados necessários para evitar que as espécies de peixes ou as que deles se alimentam corram o risco de se extinguirem.
“Acabar com a sobrepesca ou a pesca acabará” é o mote deste ano das Semanas Europeias do Peixe que decorrem de 8 de junho a 31 de agosto. Visita o site para ficares a conhecer melhor a campanha deste ano - http://www.ocean2012.org/pages/100-semanas-europeias-do-peixes

sexta-feira, 6 de julho de 2012

O Rei da Savana!

Os maiores felinos africanos são os Leões, sendo que no nosso planeta são só ultrapassados em tamanho pelo Tigre-da-sibéria.  Distribuem-se por todo o continente Africano, no entanto o seu território está a ficar cada vez mais raro e restrito a áreas protegidas.
Os leões são os mais sociáveis dos felinos e usam muitas expressões corporais e sons para comunicar entre si. O facto de serem tão sociáveis está muito relacionado com o seu habitat preferencial, a savana. Aqui, em campo aberto, a cooperação na caça e nos cuidados dispensados às crias é uma vantagem inegável. Não é, por isso, de estranhar que os leões vivam em grupos familiares territoriais (clãs), constituídos na base por leoas com parentesco direto (irmãs e filhas) e as respetivas crias, nos quais a presença de um ou mais machos adultos é temporária e periodicamente substituída (geralmente de três em três anos). O macho vigente é sempre o animal dominante do grupo (por vezes, o grupo é liderado por mais de um macho, geralmente dois, que nesse caso são normalmente irmãos). Mas, o leão consome tanta energia a patrulhar o território e a defender as fêmeas das investidas de outros machos que raramente caça. Assim, são as leoas que organizam e realizam as caçadas, com o fim de obter alimento para o grupo. No entanto, quando se dá a partilha da presa, o leão é o primeiro a comer e pode até ingeri-la completamente. Se não tiver muita fome poderá permitir que outros leões se alimentem da mesma presa.
No Jardim Zoológico é muito importante manter e estimular os comportamentos de procura de alimento e caça através do Enriquecimento ambiental. Para isso em felinos, o alimento é escondido, pendurado em pontos altos, colocado dentro de sacos de forma a criar um desafio para o animal em questão. Desta forma, para além de criarmos um estímulo de procura de alimento, os indivíduos podem desta forma manterem-se saudáveis fisicamente.



A reposta do Sabichão!


DESTINOS DE FÉRIAS EM EXTINÇÃO: A ILHA DE BALI


Quem é que não gostava de ir de férias para as ilhas Indonésias? Na ilha de Bali encontramos num só destino: praias com mar azul transparente, vegetação tropical exuberante e uma cultura muito diferente da nossa, com vestes e celebrações cheias de cor! Mas o mais importante é a riqueza de espécies tanto animais como vegetais que ali podemos encontrar…

Mainá-do-bali
Sabias que o Bali fica numa das regiões com maior biodiversidade do Planeta? O Sudeste Asiático, a região geográfica em que se incluem as ilhas Indonésias como a ilha do Bali, é por isso mesmo considerado internacionalmente um Hotspot da biodiversidade. Estas regiões são especiais devido à sua riqueza biológica mas infelizmente são também das mais vulneráveis no mundo e já perderam 70% dos seus habitats originais e 50% das espécies de plantas. Cerca de 42% dos vertebrados terrestres são endémicos, ou seja, originários destes Hotspots que cobrem apenas 2,3% da superfície terrestre. No Sudeste Asiático encontram-se as florestas tropicais mais antigas e consistentes da Terra. Uma diversidade e riqueza biológica que não tem igual no Mundo. No entanto, atualmente está a perder as suas florestas mais rápido do que qualquer outra zona equatorial. Estima-se que nos próximos 10 anos as florestas primárias do Sudeste Asiático estejam já destruídas e com elas inúmeras espécies animais extintas.
Dragão-de-komodo
 Só para terem uma ideia referimo-nos a animais como o Dragão-de-komodo e o já quase extinto Mainá-do-bali entre tantos, tantos outros que poderão agora desaparecer para sempre!
O assunto é tão sério que em 2012, e pela primeira vez, a EAZA ( a Associação Europeia de Zoos e Aquários ) e a IUCN (a União Internacional para a Conservação da Natureza), através da sua Species Survival Commission (SSC) desenvolveram e laaram a primeira campanha de conservação conjunta: a Southeast Asia Campaign 2012. No Jardim Zoológico vais em breve poder participar nesta campanha a que chamámos No Trilho da Ásia para além de ficares a conhecer muito mais acerca deste Hotspot da Biodiversidade e das espécies animais que nele vivem.

Fica atento e faz a tua parte!