Follow by Email

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Abutre também conhecido por Grifo



Sabia que dia 1 de Setembro se comemora o Dia Internacional do Abutre?

Hoje vamos ficar a conhecer melhor esta ave que é uma rapina e como tal apresentam características típicas destas aves, nomeadamente, bicos curvos e pontiagudos, garras fortes e visão desenvolvida. 
Estas aves têm 95 a 110 cm de comprimento e 240 a 280 cm de envergadura de asas. Como todas as aves, o seu revestimento são as penas, mas na zona do pescoço e cabeça apresentam uma penugem muito pequena de cor branca, na base do pescoço têm uma coroa de penas brancas. Esta característica está diretamente relacionada com a sua alimentação, uma vez que se alimentam de cadáveres, de ungulados e pequenos mamíferos (lebres), tanto selvagens como domésticos, são chamados necrófagos.
 Em termos sociais, vivem em grupos – são gregários – e cooperam na procura de alimento.
A nível reprodutivo, primeiro ocorre a corte da fêmea no solo e o ninho é construído em saliências das escarpas, sendo por isso conhecidas as colónias destes animais como “muralhas de grifos”. A postura é de apenas um ovo que é incubado em cerca de 60 dias. As crias são altriciais, ou seja, quando nasce são totalmente dependentes dos progenitores.
Hoje esta espécie encontra-se com um estatuto de conservação de pouco preocupante, mas as ameaças são elevadas, nomeadamente em termos de diminuição de alimento, este facto está em parte relacionado com a lei que hoje existe e em que todos os cadáveres de animais domésticos terem de ser removidos do campo, por questões de saúde pública.
 Por outro lado, os envenenamentos e abates ilegais, são hoje outras das principais ameaças, muitas vezes por receio que estes animais ataquem o gado, mas como já foi referido apenas se alimentam de animais mortos.
Estas aves podem ser observadas em Portugal continental, na região do Douro. No nosso país ocorrem três espécies de abutres, Grifo (Gyps fulvus), Britango (Neophron percnopterus) e Abutre-Negro (Aegyplus monachus).
Todos os dias as 12.30 e 17.30 (horário de verão) poderá observar esta ave em voo livre, no Bosque Encantado, esperamos pela sua visita.

A "Lady" tem uma ave!



O Faisão-de-lady-amherst é uma das espécies abrangidas pela campanha da EAZA com o tema sudeste asiático, ver texto – Sudeste Asiático – Ameaças e desafios – esta espécie apresenta dimorfismo sexual, ou seja, ao olharmos para estas aves podemos distinguir o macho da fêmea. Os machos apresentam esporões nas patas e um penacho de penas vermelhas na cabeça. Como é comum nos faisões os machos apresentam cores mais intensas do que as fêmeas.
Fêmea
O penacho que apresentam é utilizado durante a época de reprodução durante a parada nupcial. O ninho é construído no solo, no qual é feita uma postura de em média 7 ovos, que são incubados por 21 dias pela fêmea.
 Após eclodirem dos ovos as crias são nidífugas, ou seja, começam a alimentar-se sozinhas, ainda que permaneçam junto da sua progenitora até serem independentes.
Macho
A sua alimentação é composta principalmente por matéria vegetal e invertebrados. Têm hábitos principalmente terrestres. No verão, encontram-se a altitudes mais elevadas, mas no inverno, deslocam-se em pequenos bandos para vales mais abrigados com maior abundância de alimento.
A destruição de habitat e a captura para alimentação humana são as suas principais ameaças.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Educar para conservar – vem aí mais um ano lectivo!


O centro pedagógico do Jardim Zoológico, desde 1996 que tem programas específicos destinados à comunidade escolar, desde o Pré-escolar, Ensino Básico e Ensino secundário.
Os conteúdos abordados durante a visita guiada, estão sempre adequados ao ano escolar do grupo que nos visita, sendo reconhecidos como Utilidade Educativa pelo Ministério da Educação.
As nossas visitas-guiadas são uma aula ao ar livre e um complemento ao trabalho realizado pelo Professor.
Durante o programa educativo, são passados conteúdos programáticos adequados ao ano em questão, sempre com uso do método de discurso interrogativo e com o recurso constante às diferentes espécies presentes na coleção zoológica, que são o exemplo vivo dos conteúdos aprendidos na sala de aula, com estas memórias será mais fácil aprender e recordar conceitos.

Faça a sua marcação:
- Consulte e escolha um dos nossos programas educativos em, www.zoo.pt e contacte o centro pedagógico em 217 232 960. 

Todos os programas educativos são gratuitos para as escolas que nos visitam.


sexta-feira, 17 de agosto de 2012

O Bongo


No Jardim Zoológico pode-se conhecer um animal, cujo nome muitas vezes dá origem a alguma curiosidade, o Bongo, sumos aparte, estes animais vivem em África, nas regiões de florestas tropicais e bosques.
Apresentam pêlo de cor castanho- avermelhada, com riscas brancas, estas riscas têm uma razão de existir, permitem que se consigam camuflar nas florestas, as riscas brancas confundem-se com os raios de sol que passam entre as folhas das copas das árvores. Tanto os machos como as fêmeas têm cornos, que podem chegar aos 100 cm de comprimento, mesmo assim os das fêmeas são mais estreitos e mais pequenos. Outra diferença entre machos e fêmeas é que normalmente os machos são maiores .
A nível da sua estrutura social os machos vivem solitários, já as fêmeas vivem com as suas crias, ainda assim podem existir grupos com machos e fêmeas
Quanto à sua alimentação estes animais são herbívoros.
A subespécie que existe no Jardim Zoológico encontra-se criticamente em perigo de extinção, segundo a IUCN, as principais ameaças são a caça e a destruição do habitat.



sexta-feira, 10 de agosto de 2012

O ATL do Zoo já está em marcha, vais perder esta viagem?

Ainda podes apanhar o comboio e participar este ano nesta aventura que é o ATL do Zoo, sim podes mesmo apanhar o comboio ou então o teleférico porque no nosso ATL, para além de poderes andar nestes dois meios de transporte do Jardim Zoológico, ver todas as apresentações, ainda podes conhecer os bastidores das instalações de algumas espécies, conversar com tratadores, ajudá-los no enriquecimento ambiental. Ah já vieste ao ATL do Zoo? Se já és participante de segunda ou terceira viagem então sabes que este ATL nunca se repete e este ano há novidades! Aposto que ainda não conheceste o nosso jardineiro que te explica tudo sobre as centenas de espécies de plantas que temos no nosso Jardim, ou nunca pudeste perguntar a ninguém porque é que as instalações estão construídas de uma forma ou de outra, pois então agora poderás fazê-lo ao nosso arquiteto; e como é que os animais que veem de outros zoos cá chegam, o tratador que os transporta também te poderá explicar. Já conheces a nova instalação dos Leões? Vais adorar ver o enriquecimento ambiental destes felinos! Para além destes encontros tão diferentes ainda tens a oportunidade de conhecer um dos melhores hospitais veterinários da Europa, o nosso, ou visitar o Serviço de Nutrição onde se prepara a alimentação de cerca de 2000 animais. O comboio já partiu mas ainda estás a tempo de apanhá-lo este ano, só tens que comprar o bilhete até à quarta-feira anterior da semana que queres frequentar. Na próxima segunda-feira começa mais uma viagem! Poderás saber tudo aqui:

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Animais que sobrevivem com muito calor!


Já falámos em animais que gostam de chuva ou que vivem na neve, como estamos no verão, hoje vamos falar de animais que conseguem sobreviver em locais onde faz muito calor.
 Quando pensamos em calor lembramo-nos logo de muita areia, sol e água que é o que nos sabe bem quando estamos com calor. Quando a água falta e resta apenas a areia e o sol só alguns animais conseguem sobreviver, é o caso do Ádax, se nunca viste nenhum podes vir ao Jardim Zoológico conhecê-lo. Este animal consegue sobreviver em climas com temperaturas muito altas, como? Descansa durante o dia quando o sol está bem alto e ficam mais ativos antes do sol nascer ou mesmo quando ele se põe, ou seja, de manhã cedo e à noite.
Pois é não são só os camelos que conseguem passar longos períodos sem beber água, o Ádax também consegue, pois ele retira a água necessária para a sua sobrevivência das plantas que come.
 Outro animal que todos conhecemos tão bem e que arranjou forma de sobreviver aos períodos de seca e calor é o crocodilo. Quando as temperaturas aumentam onde eles habitam, no verão ficam sem atividade, a isto chama-se estivação, onde o batimento cardíaco e a respiração diminuem de uma forma extraordinária. No entanto estes animais têm tantas estratégias de sobrevivência que quando os invernos são frios, isto aplica-se mais aos aligatores – americanos, eles entram num estado semelhante ao de hibernação, em tocas construídas por eles próprios e sobrevivem à custa das reservas de gordura que acumularam durante o verão.

 Se queres conhecer estes e outros animais que sobrevivem ao calor, aproveita as férias de verão e vem ao Jardim Zoológico conhecê-los!