Follow by Email

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Espécies invasoras – O caso da pitão-da-birmânia

Se visitares o Reptilário no Jardim Zoológico terás a oportunidade de conhecer algumas das maiores serpentes do mundo, como a pitão-reticulado ou a pitão-da-birmânia. São espécies constritoras, ou seja,   enrolam-se à volta das presas e matam-nas por asfixia. Ocorrem naturalmente no continente asiático, em florestas tropicais, junto a rios.
Com o aumento da procura de animais exóticos para animais de companhia é cada vez mais frequente a existência de pitão-da-birmânia em casas particulares.
A libertação voluntária ou involuntária destes animais iniciou um processo de invasão do sul da Flórida (Estados Unidos), com todos os prejuízos económicos e ambientais que estas invasões implicam.
A atual área de distribuição da espécie introduzida inclui o Parque Nacional Everglades, habitat de numerosas espécies raras ou ameaçadas. Sendo a única área da América do Norte com floresta tropical parece ter as condições ideais para o desenvolvimento da pitão-da-birmânia.
Há uma centena de anos que se desconfia que esta serpente exista no parque mas nos últimos anos têm tido um impacto cada vez maior, predando uma série de mamíferos e aves e, por vezes, até mesmo aligátores-do-mississipi, competindo de forma aguerrida com os predadores nativos. Cientistas documentaram, por exemplo, que entre 2003 e 2011 as contagens de guaxinins diminuíram 99,3% e não conseguiram detetar coelhos.
Os cientistas do parque e os seus parceiros têm desenvolvido uma grande quantidade de estudos científicos com o objetivo de caracterizar melhor a espécie e o seu comportamento, assim como definir os potenciais métodos de controlo.
Desde 2002 que já se recolheram mais de 1800 indivíduos de pitão-da-birmânia que, provavelmente representarão apenas uma pequena parcela da população total.
As medidas de controlo pretendem evitar novas invasões e gerir as existentes, bem como educar as populações, por um lado para que não libertem mais animais, e por outro para que lancem alertas sempre que os avistem em ambiente natural.
As espécies invasoras ameaçam a biodiversidade e o equilíbrio do ecossistema, alterando o habitat e a estrutura trófica, podendo levar à extinção das espécies nativas.
Sabe mais sobre esta situação em: http://www.nps.gov/ever/naturescience/burmesepythonsintro.htm 

Sem comentários: