Follow by Email

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Acenando a bandeira da conservação - em comemoração do dia mundial da Terra






A perda das espécies existentes na Terra - ou seja, a destruição da biodiversidade através de ameaças   de  todos  os  tipos como a poluição, o  crescimento  populacional e o aumento de consumo desenfreado  têm  levado a prejuízos  inigualáveis, pois nada pode ser feito para recuperar espécies que foram levadas à extinção e que eram fundamentais para a sobrevivência de ecossistemas naturais.
                                                
Preservar a terra implica conservar a sua biodiversidade e esta não é de todo uma tarefa fácil pois tem grandes implicações sócio-culturais.

Torna-se complicado proteger certas espécies em perigo de extinção quando as mesmas são consideradas ameaçadoras para as populações ou quando a maioria das pessoas nem sequer ouviu falar delas. Por estas razões surge um conceito interessante que nos permite preservar todo um ecossistema, a espécie-bandeira.

O que é uma espécie-bandeira?

São animais emblemáticos e carismáticos para o público. Podem simbolizar um país, um ecossistema, um habitat, são símbolo e emblema de campanhas de sensibilização e educação ambiental. O interesse e preocupação que estas espécies despertam no público são determinantes para mobilizar os recursos financeiros e originar o empenho da classe política, essenciais para que a Conservação da Natureza tenha sucesso.
Há muitos exemplos de espécies-bandeira como o Tigre-de-Bengala (Panthera tigris tigris), da Índia; o Elefante-africano-de-savana (Loxodonta africana); o Urso-Polar (Ursus maritimus), no Canadá; o Urso-Panda (Ailuropoda melanoleuca), da China entre tantas outras.

O mico-leão-dourado (Leontopithecus rosália) é também um bom exemplo de espécie-bandeira, assim como o Jaguar (panthera-onca), ou onça pintada como lhe chamam os brasileiros.


Mico-leão-dourado
Jaguar
Quantas vezes já ouvimos o velho cliché de que a Amazónia é o pulmão do planeta? Várias com certeza, mas não paramos para refletir acerca da importância desta afirmação.

É no mar que reside a maior diversidade biológica, mas quando falamos de biomas terrestres a Amazónia surge-nos como a maior “fábrica” de oxigénio do mundo e o ecossistema terrestre com mais biodiversidade.



Se olharmos para a terra como se de um ser vivo se tratasse compreenderíamos melhor a sua fragilidade. Se os seus pulmões residem nas grandes florestas, tal como o corpo humano é composto de 75% de líquido, o maior ecossistema do planeta são os oceanos que contribuem com 97% para a sua composição e tal como qualquer ser vivo mal tratado e intoxicado, a terra está cada vez mais doente e cabe a nós que a habitamos, cuidarmos dela para que melhore. Celebremos o dia mundial da Terra, assinalado a 22 de abril, mudando comportamentos e hábitos de forma a preservar o que de melhor temos, a natureza.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Ovos da Páscoa para todos!

A Páscoa está a chegar e com ela os tradicionais ovos da Páscoa. Esta semana, os participantes do ATL do Jardim Zoológico de Lisboa elaboraram ovos da Páscoa utilizando materiais reciclados. Estes ovos irão ser utilizados para o Enriquecimento Ambiental, que é um processo através do qual estimulamos os comportamentos naturais das várias espécies de animais aqui no Jardim Zoológico. Queres saber como podes fazer os teus ovos da Páscoa?
 Que material precisas?
- Farinha;
- Água;
- Balões;
- Papel;
- Pincel.
Como fazer?
cola caseira
1-    Em primeiro lugar deves fazer uma cola caseira, para isso precisas de misturar um pouco de farinha com água e mexer muito bem;
2-    Divide o papel em pedaços mais pequenos (como na
imagem) e reserva-os;
3-    Enche o balão com ar. Podes encher balões de várias dimensões para teres ovos de diferentes tamanhos;
4-    Com o balão cheio, pincela-o com um pouco de cola caseira e de seguida pega num pedaço de papel e cola-o no balão colocando mais cola sobre esse pedaço de papel;
5-    Repete o passo anterior até todo o balão estar coberto de papel;
6-    Agora basta esperar que o papel seque (normalmente demora um dia);
7-    Depois corta a extremidade por onde se enche o balão e retira o balão do interior do papel;
8-    Por fim, apenas falta decorar o ovo a teu gosto com decorações alusivas à Páscoa.

Agora que os ovos já estão prontos vamos esconder a comida de cada animal dentro dos ovos da Páscoa, para que estes procurem o seu alimento, tal como fazem na Natureza.

            Junta-te a nós e tem uma Páscoa muito divertida, criativa e acima de tudo ecológica!