Follow by Email

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

O pinheiro de Natal

Muitas são as lendas que explicam a origem de enfeitar o pinheiro de Natal. Sabemos que a maioria das tradições natalícias têm origem na mitologia pagã nórdica, a decoração do pinheiro de Natal não é exceção. 

Os pinheiros sempre foram homenageados pelas nações antigas da Europa. Como são plantas perenes (cujas folhas duram o ano todo), eles simbolizam a vegetação que nunca morre e são considerados sagrados para as divindades da natureza.
Os sacerdotes pagãos nórdicos, quando celebravam o equinócio da primavera, erguiam em suas mãos galhos de pinheiros ornamentados. Há uma forte probabilidade de que o costume agora cristão de iluminar árvores de Natal seja um eco do costume pagão de considerar o pinheiro como símbolo de um festival solar.Existem muitas outras lendas que explicam esta tradição de decorar o pinheiro no Natal, uma delas conta que existiam 3 árvores junto à caverna onde Jesus nasceu. A oliveira que presenteou o Salvador com os seus frutos dourados. A palmeira que ofereceu a sua sombra protegendo-O das tempestades e do calor do sol e o pinheiro que se encontrava muito triste pois nada tinha para oferecer, derramando lágrimas de resina que escorriam pelo seu tronco. Uma estrela ao aperceber-se de tamanha tristeza decidiu operar um milagre e fez cair do céu uma chuva de estrelas nos ramos da árvore que se iluminou, oferendo luz ao menino Jesus. Até hoje decoramos o pinheiro de Natal com luzes e uma estrela no topo.


O pinheiro-manso e o pinheiro-bravo são árvores de folha perene presentes na flora portuguesa.

O pinheiro-bravo na Península Ibérica é o pinheiro de mais rápido crescimento e pode viver até aos 300 anos.Prefere solos soltos e arenosos e é bastante resistente à seca e geada. Ocorre desde o nível do mar até 1000 m de altitude.A madeira do pinheiro-bravo é geralmente utilizada para mobiliário. A sua resina que é extraída enquanto a árvore é viva, tem muita utilidade na produção de água-rás e perfumes. Na medicina natural a infusão dos rebentos é usada para combater o catarro e bronquites, sendo um bom anti-séptico e balsâmico.

Pinheiro-bravo
O pinheiro-manso é uma árvore que tem preferência por solos frescos, profundos e arenosos, adaptando-se mesmo a areais marítimos e dunas. Prefere boa luminosidade e temperaturas quentes, não suportando geadas fortes e contínuas. É comum encontrá-lo entre o nível do mar e os 1000 metros de altitude.Muito associado às plantações de pinheiro-manso surge o Coelho-bravo, que nestes solos arenosos encontra boas condições para escavar as suas tocas, alimentando-se das plantas que se desenvolvem sob as árvores. É importante lembrar que estas populações de Coelho são muito favoráveis à ocorrência de diversas espécies de predadores como o Lince-ibérico e algumas espécies de aves de rapina.




Pinheiro-manso
O centro pedagógico deseja a todos os leitores um santo e abençoado Natal.


Sem comentários: