Follow by Email

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Conservação que vai para além do perímetro de Sete Rios

No mês em que se comemorou a Conservação da Natureza foi dado um importante passo para a conservação de uma espécie em vias de extinção – o Leopardo-da-pérsia (Panthera pardus saxicolor).

Socchi
Este foi o dia escolhido para a transferência de um Leopardo-da-pérsia, ao abrigo do Programa de Reintrodução, para Sochi, na Rússia. Este animal, de nome Simbad é um jovem macho nascido em França, no Parc des Félins. Será acompanhado durante a sua viagem por Grégory Breton, responsável zoológico do parque, e irá receber à chegada o apoio da equipa do centro.
Dentro dos moldes do projecto, este animal será ambientado à vida selvagem, para mais tarde, quando estiver pronto, ser liberto nesta vasta reserva natural.É importante passar a mensagem de que o trabalho do Jardim Zoológico não termina no perímetro de Sete Rios mas que se estende até às zonas de distribuição dos diferentes animais, através de projectos de conservação in-situ.

Todos os projectos de reintrodução são importantes, no entanto, o Jardim Zoológico nutre um carinho especial por este projecto de Reintrodução do Leopardo-da-pérsia uma vez que coopera activamente com o mesmo. Após um intenso e positivo trabalho com surpreendentes resultados na reprodução destes animais, o curador de mamíferos do Jardim Zoológico, José Dias Ferreira, foi nomeado coordenador europeu do programa de reprodução desta subespécie – EEP. No âmbito deste projecto foi também posteriormente convidado para dar formação aos técnicos russos sobre como se processa o maneio dos animais.

Casal reintroduzido pelo Jardim Zoológico
Em Outubro de 2012 foi enviado de Lisboa, um casal de Leopardos-da-pérsia para o Centro de Reprodução e Reintrodução, em Sochi, na Rússia. Quis-se deste modo acelerar o processo de reprodução e reintrodução através do envio de um casal já formado e que tinha apresentado impressionantes resultados de reprodução – já tinha gerado 8 crias. Passado cerca de nove meses após a transferência para a Rússia, foi comunicado que teria nascido outra ninhada. A reprodução destes animais representou um marco muito importante na conservação, uma vez que há 50 anos que não se registavam nascimentos desta subespécie no país. Após este parto, o casal voltou ainda a reproduzir-se mais uma vez.

De forma a enriquecer o conjunto genético das espécies sob cuidado humano, ao regressar a França, no dia 2 de Agosto, Grégory Breton far-se-á acompanhar por Grom, um jovem macho que se irá reproduzir com Fatma, uma fêmea do Parc des Félins. Este macho nasceu no centro de reprodução e a sua informação genética não está representada nos Zoos da Europa. Deste modo conseguir-se-á aumentar a variabilidade genética dos animais presentes em parques zoológicos.

O Leopardo-da-pérsia está classificado pelo IUCN como estando em Perigo de extinção. Estes animais são ameaçados pela redução do seu habitat, pela caça para o comércio ilegal da pele e dos ossos e pela perseguição directa, por ser considerado um predador de gado doméstico e uma ameaça às povoações.

Conseguir reintroduzir esta subespécie é fundamental para garantir a sua sobrevivência na natureza e o Jardim Zoológico orgulha-se de, mais uma vez, estar a contribuir directamente para a conservação da biodiversidade.