Follow by Email

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Uma ida ao Jardim Zoológico

No dia 2 de janeiro, estava um belo dia de inverno, com o sol a brilhar. Eu e a minha família entrámos no Jardim Zoológico às 10 horas, para uma aventura num Sábado Selvagem. Passados 15 minutos, veio ao nosso encontro a bióloga Rita, que nos acompanhou durante todo o dia.
A Rita disse-nos o que íamos fazer durante esta visita ao Zoo: primeiro íamos alimentar os lémures; segundo, íamos ao Bosque Encantado; terceiro, íamos alimentar os elefantes; e quarto, íamos brincar com os golfinhos.
Começámos a nossa visita e a bióloga Rita contou-nos um pouco da história do Zoo. Este espaço foi inaugurado no ano MDCCCLXXXIV (1884). Hoje em dia, habitam no Jardim Zoológico cerca de dois milhares de animais, que se dividem por cerca de 300 espécies.
O primeiro contacto que tivemos com os animais foi muito barulhento, pois estávamos no recinto das araras, que era parecido com uma gaiola grande hexagonal.
Daqui, seguimos para a alimentação dos lémures, onde nos esperavam duas das suas tratadoras. Elas ensinaram-nos a preparar a comida destes simpáticos animais. Então, eu e o meu irmão estivemos a misturar, numa massa pegajosa, maçãs partidas em quartos, metades de nozes e muitas passas de uva. Entrámos finalmente no recinto dos lémures e foi muito divertido alimentar estes animais fofos e queridos, que têm umas caudas em sequência – preto/branco/preto/branco.

Saímos dali muito felizes, mas já atrasados um quarto de hora (15 minutos) para a visita ao Bosque Encantado, onde já estava um tratador ansioso por nos mostrar alguns animais arrepiantes, como, por exemplo, um lagarto e um jacaré, que mediam entre 30 e 80 centímetros, e uma cobra com cerca de três metros.
Depois, seguimos para ver o espetáculo das aves de rapina. Lá, dois falcões fizeram um voo magnífico e uma águia fez um voo na diagonal.
Chegou a hora do almoço e fomos almoçar ao restaurante “Mata Zoo”. A refeição custou 52 euros, o meu pai pagou com três notas de 20 euros e recebeu oito euros de troco.
Depois do almoço, a aventura continuou e, antes de chegarmos ao recinto dos elefantes, passámos por muitos espaços de animais que nos faziam lembrar figuras geométricas: o rinoceronte no seu charco retangular, o tigre branco no seu recinto quadrado e a encosta dos felinos que parecia um círculo. E acreditam que estava um canguru sentado no vértice da sua casa, em forma de prisma triangular?
Quando chegámos ao pé dos elefantes, estava um tratador à nossa espera para nos explicar como vivem estes animais no Zoo. Levou-nos ao celeiro, onde estava armazenada a comida dos elefantes, e contou-nos que cada elefante pode comer até 300 quilogramas por dia, o que multiplicado pelos sete elefantes que vivem no Zoo, dá um total de 2100 quilogramas de comida por dia! Fomos então dar comida a estes grandes animais e foi muito engraçado dar-lhes maçãs e cenouras. Eles colocavam a tromba entre as barras da jaula, que pareciam muitos segmentos de reta paralelos. Cada vez que nós lhes dávamos comida, eles encharcavam-nos! Quando saímos dos elefantes, eu vinha feliz e salpicado.
Seguimos para o reino da macacada. Lá, encontrámos cinco gorilas, oito orangotangos, 27 chimpanzés e 16 macacos. Esta população de primatas tem uma frequência absoluta total de 56 animais e a moda são os chimpanzés brincalhões. 
Por fim, chegou o momento que mais esperávamos: os golfinhos! Fomos então muito apressados para a Baía dos Golfinhos ver os seus habitantes. Esta apresentação é considerada a moda de todas as apresentações, uma vez que é a mais procurada do Zoo. No final da apresentação, fomos aprender como vivem os golfinhos e uma das suas tratadoras explicou-nos como se treinam estes animais.

Para terminar, fomos até à enorme piscina onde os golfinhos estavam à nossa espera para brincar. Eu e o meu irmão atirámos bolas (que eram esferas) para os golfinhos. Eles mandavam-nas de volta, com muita água. Ficámos, ainda, a saber que estes animais adoram comer cubos de gelo para se refrescarem. Com esta visita, os golfinhos ficaram felizes e contentes… E nós também!
Este Sábado Selvagem foi fabuloso! Adorei a visita ao Jardim Zoológico! 
Autor: André Reis
Ano de escolaridade: 3.° Ano
Escola: Colégio dos Plátanos – Rinchoa
Professor responsável: Nuno Bacalhau
3.° classificado na Categoria A1
No âmbito do concurso "Um conto que contas" da responsabilidade da Comissão Organizadora em colaboração com a Delegação Regional do Sul e Ilhas da Sociedade Portuguesa de Matemática, e Aplicações, da Associação de Matemática Interactiva e Lúdica - AMIL e da Delta Cafés. Este concurso foi aberto à participação de todos os estudantes que frequentam escolas públicas e privadas, do 1º ao 12º ano de todo o país.






Sem comentários: