Follow by Email

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Um cheirinho a murta


A murta (Myrtus communis L.) é um arbusto que pode chegar aos 5 metros. Um arbusto distingue-se de uma árvore porque, normalmente, ramifica-se a partir da base, enquanto que a árvore tem um eixo (tronco) principal.
Apresenta muitos ramos e as suas folhas verdes, brilhantes e aromáticas são perenes, ou seja, não caem durante o inverno. As suas flores, também aromáticas, são brancas, com cinco pétalas e muitos estames (estruturas reprodutoras masculinas), e surgem no final da primavera ou durante o verão. Os seus frutos, os mirtos, surgem no outono, são pseudobagas azuis escuras ou pretas, mas por vezes podem surgir frutos brancos. Os insetos efetuam a polinização, enquanto as aves, que se alimentam dos frutos, são responsáveis pela dispersão das inúmeras sementes.
Pertence à família das Mirtáceas, com cerca de 5000 espécies, onde se incluem também os eucaliptos. Nesta família as espécies são maioritariamente tropicais, muitas delas naturais da Austrália, sendo a murta o único elemento da família nativo na Europa, nomeadamente, na região mediterrânica. A murta cresce em ambientes secos, e faz parte das comunidades de matagais mediterrânicos pré-florestais, sobretudo no centro e sul do país.
 Das suas folhas são retirados óleos essenciais com propriedades medicinais, à semelhança do que acontece com os eucaliptos e outras espécies da mesma família. Estes óleos também podem ser usados em perfumaria e como condimento na gastronomia. Os ramos e folhas são usados na indústria dos curtumes (produção de artigos em pele).
Murta
Das suas raízes e casca são extraídos taninos, que têm propriedades anti-herbivoria (para evitar que a planta seja comida) e contra organismos patogénicos (para proteger a planta de doenças).
A sua madeira dura e elástica é bastante apreciada no fabrico de bengalas, cabos de ferramentas, mobílias, etc..
Os frutos são utilizados no fabrico de licores.
 Desde a Antiguidade que a murta está associada a rituais e cerimónias. Era consagrada a Afrodite na mitologia grega e a Vénus na mitologia romana, deusas do amor. Grinaldas com as suas flores adornavam as noivas na Grécia. E, também os gregos, usavam a sua madeira como incenso em cerimónias religiosas. Tem sido usada como ornamental por ser um símbolo de amor e imortalidade.
 Se pensares em colocar uma planta no teu jardim podes escolher a murta: é aromática, tem folhas todo o ano, fica especialmente vistosa com as suas flores e frutos e, para além disso, é resistente à secura, o que significa que não precisas de a regar com frequência.

Sem comentários: